PT articula “plano B” para eleições de 2018

Por Letícia Valadares

O Partido dos Trabalhadores (PT) não consegue entrar em acordo nas articulações do seu “Plano B” para as eleições presidenciais de 2018, caso o ex-presidente Lula seja impedido política ou juridicamente. As discussões começaram após o depoimento do ex-ministro Antonio Palocci ao juiz Sergio Moro.

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad seria o preferido do ex-presidente para concorrer ao cargo. Mas alguns petistas discordam da sugestão e questionam se ele teria competência diante dos argumentos sobre os casos de corrupção envolvendo o partido. Haddad seria chamado pelos membros da cúpula do partido como “Dilma de Saia”, no que se refere ao jogo de cintura política da presidente cassada.

A estratégia do PT seria insistir na candidatura de Lula, alegando que ele seja vitima de perseguição política e caso ele seja impedido, argumentar que as eleições de 2018 não terão legitimidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *