Alckmin fala sobre desvantagem contra Dória na pesquisa CNT/MDA

Por Letícia Valadares

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), falou nesta sexta-feira (20), que deixar a escolha do candidato à Presidência da República para abril é “fazer política de improviso”. O governador ainda afirmou que pesquisas eleitorais “não é parâmetro” para a escolha do candidato. A declaração de Alckmin foi dada um dia depois da divulgação da pesquisa CNT/MDA, que mostra João Dória (PSDB), mais forte que ele nas intenções de voto.

Segundo ele, tudo o que é improvisado é mal feito. “Se tivermos dois candidatos, podemos marcar prévias para o comecinho do ano. Não precisa ser decidido nada agora, mas não defendo deixar nada para a última hora. Tudo o que é improvisado é mal feito. Aliás, no Brasil precisamos parar com a improvisação, inclusive na política”.

Justificando a sua baixa nas intensões de voto, o governador afirma não ter viajado muito pelo país, como tem feito o Prefeito de São Paulo. “Também não tenho viajado tanto”. E garantiu que ainda está no páreo. “Achei ótima a pesquisa. Estamos praticamente empatados. E eu não disputei eleição no ano passado. A última que disputei foi em 2014 e eleição para governador fica sempre escondida por causa da eleição para presidente.”

Finalizou lembrando da necessidade do planejamento. “Precisamos planejar as coisas. O País é um país continental. Quem for escolhido candidato, vai ter de fazer alianças, discutir um grande projeto para o Brasil com a sociedade, viajar pelos vários Brasis. Por isso, tenho defendido, que não se pode deixar para lá na frente, na última hora”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *