Vereadores cuiabanos protestam no STF por agilidade no caso de Emanuel Pinheiro

Por Lucas Lyra

 

O juiz do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, não encontra descanso desde que assumiu a relatoria da “lava jato pantaneira”. Como o caso se ramifica e se complica cada vez mais, com escândalos quase diários desestabilizando não somente a política de Cuiabá quanto a de todo o estado, vereadores da capital mato-grossense vieram a Brasília nesta segunda-feira (2) para pedir que Fux aja com “celeridade” no caso.

Gilberto Figueiredo (PSB), Marcelo Eduardo Bussiki (PSB), Felipe Tanahashi (PV), Eliseu Nascimento (PSDC), Dilemário Alencar (PROS), Abílio Junior (PSC) e Sargento Joelson (PSC) participaram do protesto em frente ao STF, em Brasília. Além disso, também protocolaram ofícios para Fux e para a procuradora geral da República, Raquel Dodge, pedindo que as investigações envolvendo o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), filmado recolhendo propinas na delação do ex-governador, Silval Barbosa (PMDB), sejam feitas na maior brevidade possível.

A percepção geral na capital mato-grossense é a de que o prefeito perdeu a “autoridade moral” para governar. Autoridades e políticos questionam nos bastidores a capacidade de Pinheiro para gerir um orçamento de mais de R$2 bilhões. “Se até os maços de dinheiro do Silval ele deixou cair no chão, imagina o que ele não faria com R$2 bilhões”, debochavam alguns políticos nos bastidores.

Os vereadores vieram protestar em Brasília após realizarem uma visita oficial da Câmara Municipal de Cuiabá ao procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Mauro Pouso Corvo, pedindo também celeridade nos processos que tangem o Ministério Público do Estado no âmbito da “lava-jato pantaneira”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *