PT gastou 1 milhão e meio de reais com a defesa da candidatura de Lula. É o maior gasto com advogados registrado pelo TSE

CONSULTORIA CARA

A campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) registrou R$ 1,5 milhão em gastos eleitorais com o escritório de advocacia Teixeira, Martins e Advogados, que defende o petista nos processos criminais da Operação Lava-Jato, e também no processo que tramita na ONU.A prestação de contas da candidatura, que acabou barrada na Justiça Eleitoral e substituída pela de Fernando Haddad, aponta que este é o maior gasto com advogados registrado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) até agora, segundo dados preliminares dos candidatos que disputam algum cargo nas eleições deste ano.Em nota oficial, a assessoria de imprensa da campanha afirmou que o escritório “prestou consultoria ao registro da chapa do Partido dos Trabalhadores”.

SEM INDULTO

 

Em entrevista nesta terça-feira (18), o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, afirmou que não dará indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no caso de ser eleito. Não ao indulto”, disse. Mas acrescentou que Lula sempre foi claro que não quer essa solução.”Lula não vai abrir mão da defesa de sua inocência. Ele é o primeiro a dizer ‘eu não quero favor, eu quero que os tribunais brasileiros e os fóruns internacionais reconheçam que eu fui vítima de um erro judiciário’.

Mourão defende urna eletrônica com voto impresso

O general Hamilton Mourão (PRTB), candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), defendeu nesta terça-feira, 18, que o Brasil tenha o voto impresso, ainda que no futuro. ” A urna eletrônica terá que ter, em algum momento, um mecanismo que imprima o voto”.Mourão comparou o sistema ao dos bancos. “Quando vamos ao banco, não temos um comprovante impresso? É a mesma coisa”, afirmou, dizendo que sem a impressão do voto, ficará pairando “para sempre essa desconfiança”.

 

Candidato da Rede se alia a ‘bolsonaristas’

O candidato da Rede em Pernambuco, Julio Lóssio, se aliou com apoiadores de um dos principais adversários de Marina Silva na disputa pelo Planalto, Jair Bolsonaro (PSL). A união foi desautorizada publicamente pela Executiva estadual da Rede e causou constrangimento na legenda da ex-ministra.Ex-prefeito de Petrolina, Lóssio fará campanha ao lado de Luiz Meira (PRP), ex-coronel da Polícia Militar conhecido por ser “linha dura”, e Gilson Machado (PSL). Meira chegou a ser o pré-candidato de Bolsonaro ao governo do Estado e Machado, ao Senado, mas os partidos rifaram suas candidaturas por alianças locais. Em nota, o partido desautorizou o apoio do coronel.

FILHO DE MINISTRO È ALVO DA PF

Com ordens ordens judiciais expedidas pelo STF (Supremo Tribunal Federal), a PF (Polícia Federal) deflagrou, na manhã desta terça-feira (18), a quarta fase da Operação Registro Espúrio, que investiga fraudes no Ministério do Trabalho.Entre os investigados, está o advogado Tiago Cedraz, filho do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Aroldo Cedraz. Ele é ligado ao partido Solidariedade, uma das legendas com influência na Secretaria de Relações do Trabalho, que cuida desses repasses. O prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 9 milhões, conforme a PF.policiais federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão e nove de prisão temporária em Brasília (DF), Goiânia (GO), Anápolis (GO), São Paulo (SP) e Londrina (PR).

VOTO BOLSODORIA 

O ex-governador Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB, continua estagnado nas pesquisas e tenta evitar uma debandada de aliados e quer reforçar a visibilidade em São Paulo nas três semanas que restam antes do primeiro turno. Ainda sem contar com o engajamento dos partidos do Centrão, Alckmin pretende investir no próprio quintal para evitar o triunfo do voto casado no candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e no nome tucano para o Palácio dos Bandeirantes, João Doria. A ideia é impedir a consolidação do chamado voto “bolsodoria” no maior colégio eleitoral do País.

ROSA DEBATE COM JUNGMANN

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, se reúne nesta quarta-feira (19) com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, no STF. Na pauta, a segurança nas Eleições 2018.

 

 

AÇÃO PENAL CONTRA RENAN

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) realiza sessão para julgar ação penal que tem como réu o senador e ex-presidente do Senado, Renan Calheiros. Os ministros vão analisar, também, ação penal contra o deputado federal Newton Cardoso Jr. e inquérito contra o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira.

 

 

TOFFOLI COMANDA CNJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza, nesta terça-feira (18), a primeira sessão plenária comandada pelo novo presidente do Conselho e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Onze itens integram a pauta. São seis ratificações de liminares, três processos com vista regimental e dois processos remanescentes de outras sessões.

 

 

 

 

REFORMA FISCAL

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta terça-feira que o Brasil precisa dar continuidade às reformas fiscais, enfatizando a necessidade de mudanças na Previdência, além da manutenção do teto de gastos para o país prosseguir no caminho de ajuste gradual e crível.

SEMANA NACIONAL DO TRÂNSITO

O Detran abre na Biblioteca Parque Estadual, na Avenida Presidente Vargas, as celebrações pela Semana Nacional do Trânsito, que este ano tem o tema: Nós Somos o Trânsito”. Durante a semana, serão realizadas atividades educativas e ações lúdicas na biblioteca, para alertar crianças, adolescentes e jovens sobre os riscos do trânsito, que é responsável por cerca de 60 mil mortes anualmente. Além do circuito interativo na biblioteca, o Detran vai realizar blitzes educativas em parceria com a Operação Lei Seca, em áreas da Capital, para alertar sobre a importância do respeito às leis do trânsito, sobre os riscos da mistura de álcool e direção, a importância do uso do cinto de segurança, inclusive pelo carona, e também sobre os cuidados com a segurança dos próprios veículos.

FUTURO DO TRABALHO

O Comitê de Estudos Avançados sobre o Futuro do Trabalho está previsto para ser instalado hoje (18), no Ministério do Trabalho. O ministro da pasta, Caio Vieira de Mello, deve participar da cerimônia. O grupo foi criado para discutir e propor formas de proteção ao emprego diante do avanço da automação. Integram o comitê representantes do governo, do Judiciário, do meio acadêmico, de entidades de classe e sindicais (de empregados e empregadores)

REUNIÃO DO COPOM

O Comitê de Política Monetária (Copom) realiza a sexta reunião do ano hoje (18) e amanhã (19), na sede do Banco Central. Nesta terça-feira, haverá reuniões técnicas em que será avaliada a atual conjuntura econômico-financeira do país.O governo federal estimou que os subsídios financeiros e creditícios chegarão a 69,801 bilhões de reais em 2019, conforme informações da Secretaria de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria do Ministério da Fazenda enviadas ao Congresso no projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano.
Segundo o documento, serão 37,776 bilhões de reais em subsídios explícitos, quando são realizados desembolsos efetivos por meio das equalizações de juros e preços, além de assunção de dívidas pela União. No grupo, o maior peso fica para o Fundo de Compensação das Variações Salariais (FCVS), com 13,75 bilhões de reais em 2019.

 

FRASE DO DIA

“Eu não quero ser eleito por alguém que botou a mão no nariz e votou em mim porque não queria votar em outro. Quero ser eleito porque represento a saída para o Brasil, que precisa restaurar o diálogo e acabar com essa ameaça fascista que não é nem tanto o Bolsonaro, mas o vice dele, que está deixando clara essa posição”, afirmou o  candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes,  nesta terça-feira, 18.

Deixe uma resposta

Conectado como Isa RamosFazer logout?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *