BOLSONARO: Brasil deixará de ser ‘fonte de renda’ de ditaduras desumanas. Confira outras informações na coluna JPM desta segunda-feira (19)

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, diante da polêmica pela saída de médicos cubanos do programa Mais Médicos, postou em sua conta em uma rede social,  que o Brasil deveria deixar de ser paraíso de criminosos e fonte de renda de ditaduras desumanas para dar lugar a um país em que o “brasileiro e as pessoas de bem” sejam a maior prioridade do novo governo.”Para voltarmos a crescer como nação precisamos fazer valer nossa soberania e nossas leis. Devemos respeitar o mundo todo, mas também ser respeitados. Seremos um Brasil amigo, mas que tem seus valores e princípios básicos”, escreveu

 

NOVO GOVERNO

O economista Roberto Castello Branco aceitou convite da equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro para comandar a Petrobras, informou em nota a assessoria do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira(19).Castello Branco é doutor em Economia pela Fundação Getulio Vargas e, atualmente, é diretor no Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da FGV.

COMPETÊNCIA

Com pós-doutorado pela Universidade de Chicago e extensa experiência nos setores público e privado, Castello Branco já ocupou cargos de direção no Banco Central e na mineradora Vale, fez parte do Conselho de Administração da Petrobras e desenvolveu projetos de pesquisa na área de petróleo e gás”, informou a nota

VISITA DE CORTESIA

Pela primeira vez, o presidente eleito Jair Bolsonaro deve visitar a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, durante a tarde desta terça-feira(20)A expectativa é de que o presidente use um tom bem mais moderado durante a reunião e coloque seu governo à disposição do MPF, principalmente nas ações que dizem respeito ao combate à corrupção. Junto aos integrantes da Polícia Federal, os procuradores da República têm fundamental importância nas diligências e ações relacionadas à operação Lava-Jato.

SUCESSÃO NA PGR

Faltando quase 10 meses para o final do mandato da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, integrantes do Ministério Público Federal (MPF) já começam a debater a sucessão da PGR e a força da lista tríplice para a próxima indicação. Pelo sistema da lista, qualquer membro do MPF em atividade e com mais de 35 anos de idade pode se candidatar ao cargo.

 

 

MICHELLE EM BRASILIA

A futura primeira-dama Michelle Bolsonaro .deve viajar em um voo diferente do marido, na parte da tarde desta terça-feira(20). É a primeira vez que ela vem ao Distrito Federal após a campanha eleitoral. Nascida em Ceilândia, onde moram seus pais, Michelle vai visitar as instalações da Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência da República. É possível que também visite o Palácio da Alvorada.

 

MINISTRO DIZ NÃO

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido do PSOL que questionava o aumento de 16,38% no salário dos ministros do próprio STF. A alegação principal do partido é que houve vício na tramitação do projeto no Congresso.Lewandowski aplicou entendimento já pacificado na Corte de que os supostos vícios apontados pelo PSOL tratam de interpretação de normas do regimento interno do Congresso, sendo assim, questões internas do Poder Legislativo, onde o Judiciário não pode avançar.

 

OPOSIÇÃO NO CONGRESSO

O governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, vai enfrentar resistência no Congresso no ano que vem por parte da oposição. A intensidade vai depender, entre outros fatores, do tipo de arranjo a ser definido. Divisões no grupo indicam poder de fogo menor do que poderia ser esperado.A maior bancada eleita na Câmara dos Deputados é do PT, partido que disputou o segundo turno contra o PSL, de Bolsonaro. No entanto, a sigla está sendo isolada pela formação de uma frente ampla com partidos da esquerda, como PSB, PDT, PC do B, Rede, PV e PSol. A ideia é que a oposição mantenha diálogos com o futuro governo, mas faça resistência às pautas unânimes entre eles.

REUNIÕES EM BRASILIA

Bolsonaro deve desembarcar em Brasília na manhã desta terça(20) e deve se reunir logo cedo com o ministro da Transparência e CGU (Controladoria-Geral da União), Wagner Rosário. Inicialmente, o presidente eleito anunciou que parte da CGU poderá ser absorvida pelo Ministério da Justiça. A definição está em aberto.Também para a terça-feira estão previstas reuniões com o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, e representantes da Associação das Santas Casas do Brasil, no Centro Cultural do Banco do Brasil.E na quarta-feira (21), Bolsonaro deverá se reunir com os governadores eleitos e reeleitos do Nordeste. Eleito com forte ação pelas redes sociais e sem uma estrutura de assessoria de imprensa, Jair Bolsonaro agora estuda profissionalizar a comunicação de seu governo, mas enfrenta resistência dos filhos que atuam na política.Passadas três semanas desde a vitória nas urnas, Bolsonaro ainda não tem um responsável por divulgar sua agenda e fazer esclarecimentos sobre suas ações, por exemplo.

SEM PORTA-VOZ

De um lado, os filhos do presidente eleito resistem à profissionalização desse trabalho, hoje feito de maneira informal por assessores. De outro, políticos e militares avaliam que a ausência de um assessor de imprensa e de uma estratégia clara de comunicação traz prejuízos.

LIMITE DE GASTOS

Os Estados do Acre, Ceará, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina já avisaram ao governo federal que não terão condições de cumprir o limite de gastos estabelecido para este ano como exigência para o refinanciamento da dívida. Outros Estados também relataram dificuldades financeiras, o que deve adicionar pressão sobre a União por medidas de socorro. Os governos estaduais reclamam que o impacto foi “repentino” sobre as contas, sem que houvesse margem de manobra para evitar um prejuízo maior.

 

AGENDA

*O presidente Michel Temer coordena reunião com três ministros e dois secretários, no Palácio do Planalto. Participam os ministros de Minas e Energia, Moreira Franco; dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro; e da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun. Também estarão presentes o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Marcos Abbott Galvão; o secretário-executivo do Gabinete de Segurança Institucional, General Stumpf; e o presidente da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior.O presidente Michel Temer recebe a advogada-geral da União (AGU), Grace Mendonça, no Palácio do Planalto.

*Ainda nesta segunda-feira, o presidente Michel Temer participa do Encontro dos Municípios Brasileiros – Avanços da Pauta Municipalista, na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), em Brasília.Estarão presentes ministros, parlamentares, prefeitos e outros convidados. Na ocasião, o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, vai apresentar o Programa Federal de Apoio às Concessões e PPPs Municipais. Estados correm risco de perder ajuda da União

* A comissão especial que analisa o projeto de lei da chamada Escola sem Partido (PL 7180/14) volta a se reúne nesta terça-feira (20) para tentar votar o substitutivo do relator, deputado Flavinho (PSC-SP). Vamos fazer um registro sobre as expectativas de votação do texto.

*A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) se reúne amanhã (20) para debater a evolução do quadro fiscal brasileiro e analisar variáveis econômicas e a tendência da dívida pública. Os membros da comissão vão ouvir o presidente da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado Federal, Felipe Salto. Podemos fazer um registro sobre o assunto.
*As comemorações e festividades da Consciência Negra vão se estender ao longo desta semana. Na capital paulista serão cerca de 100 atividades culturais até a próxima quarta-feira (21).Nesta segunda-feira (19), haverá a entrega do Troféu Raça Negra a personalidades que se destacaram em 2018 na luta pela igualdade racial no país.

 

FRASE DO DIA

“Não entendi se é crítica ou elogio, mas informo que não retornaremos à Idade Média, pois temos muito a fazer por aqui, a começar por um exame minucioso da “política externa ativa e altiva” em busca de possíveis falcatruas”, rebateu o futuro  ministro das Relações Exteriores no governo de Jair Bolsonaro, o embaixador Ernesto Fraga Araújo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *