Governo Bolsonaro tenta estreitar relações com a China

 

As relações com a China são um ponto nevrálgico para o governo Bolsonaro. Tanto é que, em apenas oito dias, o embaixador chinês, Yang Wanming, visitou duas vezes integrantes do alto escalão. Na semana passada, foi a vez do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, e agora será do ministro da Economia, Paulo Guedes. O encontro desta quinta-feira, 17, contará ainda com a participação de Marcos Troyjo, secretário especial do comércio exterior e assuntos internacionais, e de Rodrigo Godinho, assessor para assuntos internacionais.

Na pauta, estão assuntos relacionados às relações comerciais entre os dois países. No ano passado, a China foi o principal parceiro comercial e investidor do Brasil, respondendo por 26,8% das exportações brasileiras (que somaram US$ 64,2 bilhões) e 19,2% das importações (que atingiram US$ 29,5 bilhões), de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Da Redação, com informações do Portal Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *