Após derrota, governistas estão preocupados com a votação da reforma da Previdência.

O secretário especial da Casa Civil para a Câmara, Carlos Manato, circulou nesta terça pelo plenário após a derrota na votação sobre  o projeto que derrubou o decreto sobre classificação de documentos secretos. Apesar da conta de Mourão, os governistas estão preocupados coma votação da reforma da Previdência. A reportagem apurou que o governo também deverá começar a fazer novamente nomeações no segundo escalão, nos Estados, numa tentativa de atender os deputados e angariar votos.

O Planalto montará, ainda, uma ofensiva para que ministros de determinadas áreas, como saúde e educação, se reúnam com bancadas temáticas no Congresso, na tentativa de contornar as dificuldades na articulação política e diminuir resistências às mudanças na aposentadoria.

Após a visita à Câmara, nesta quarta, o presidente se reunirá a tarde com a bancada do PSL, no Palácio da Alvorada, e já enviou emissários ao Congresso para dizer que vai apresentar o texto com as mudanças a todas as bancadas.

Na véspera do envio da proposta da reforma da Previdência, o Planalto deverá ter mais uma baixa que pode atrapalhar a articulação política entre os deputados evangélicos: o subchefe de Ação Governamental da Casa Civil, Pablo Antonio Tatim. Com trânsito na bancada evangélica, Tatim é desafeto do grupo de militares do governo e trabalhou na equipe da transição.

Apesar da resistência dos militares, ele ficou no cargo por causa da reforma da Previdência para não causar atrito com a bancada evangélica, que tem 150 deputados. Ele é citado em relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) como um dos responsáveis por irregularidades na contratação superfaturada de uma empresa de tecnologia pelo Ministério do Trabalho. À reportagem, Tatim alegou que deixou o cargo por razões de saúde.

O líder do DEM na Câmara, Elmar Nascimento (BA), avaliou que a desarticulação da base aliada é um problema grave para a votação da reforma da Previdência. “É uma reforma difícil e que exigirá muito esforço da base.”

Fonte: Istoé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *