Em Israel, Bolsonaro assinará acordos de cibersegurança, defesa e aviação

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) desembarca em Israel no domingo para retribuir a visita feita pelo premiê israelense, Benjamin Netanyahu, durante a sua posse, em janeiro. Pessoas que estão organizando a viagem confirmam que os dois países assinarão acordos de cooperação nos setores de defesa, cibersegurança, aviação, agricultura, segurança, saúde pública e energia.

A agenda de Bolsonaro ainda não foi divulgada oficialmente, mas, segundo o UOL apurou, ele deve acompanhar exercícios militares das forças de segurança israelenses.

Integrarão a comitiva brasileira os ministros Ernesto Araújo, de Relações Exteriores; Marcos Pontes, de Ciência e Tecnologia; general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional; general Fernando Azevedo e Silva, da Defesa; e almirante Bento de Albuquerque, de Minas e Energia.

Na lista, aparece também o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Imersos no desgaste da relação entre o Executivo e o Legislativo, os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Justiça, Sergio Moro, que acompanharam Bolsonaro na viagem aos EUA, não participarão desta vez da visita.

Outros congressistas, no entanto, vão deixar de lado a crise para viajar. Os filhos de Bolsonaro, Eduardo, deputado federal e presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, e o senador Flávio, o acompanharão. Bolsonaro embarca no sábado (30) e retorna ao Brasil no dia 3 de abril.

Bem nesse dia, Guedes deve ir à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara para uma audiência pública para explicar a reforma da Previdência.

Encontro com empresários

O presidente se reúne com Netanyahu no domingo, quando também será oferecido um jantar pelo premiê de Israel. Na terça-feira, será realizado um evento conjunto entre empresários de Brasil e Israel com a presença de Bolsonaro e Netanyahu, com enfoque em inovação e tecnologia. O evento é organizado pela Apex (Agência de Promoção das Exportações do Brasil) e pelo Instituto de Exportação de Israel.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *