Coaf, o disputado órgão que gerou mil relatórios para Lava Jato e saiu das mãos de Moro

 

Desde que foi criado, o Coaf sempre fez parte do extinto Ministério da Fazenda (absorvido pelo atual Ministério da Economia), mas no início de seu mandato, o presidente Jair Bolsonaro o passou para o da Justiça. No entanto, a comissão mista que avaliou a proposta e a Câmara devolveram o conselho para o Ministério da Economia.

A proposta de transferência do Coaf para o Ministério da Economia não contava com o apoio do ministro da Justiça, Sergio Moro, que reivindicava sua manutenção dentro de sua pasta.

O órgão acabou, assim, virando fonte de desgaste para o governo.

No entanto, se fossem feitas alterações na versão que veio da Câmara, o texto teria que voltar à casa, pondo em risco a versão completa da MP, que incluía a redução de 29 para 22 ministérios, medida implantada por Bolsonaro no início do mandato e uma de suas promessas de campanha.

Por isso, o presidente chegou a enviar uma carta aos senadores para tentar convencê-los a aprovar a proposta.

Moro sai enfraquecido dessa queda de braço, já que considerava o Coaf estratégico no combate à corrupção.

 

Da Redação, com informações da BBC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *