Vice da Câmara diz que chefe da FAB extrapolou “limites institucionais”

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), afirmou, nesta sexta-feira (9/7), que o comandante da Aeronáutica, Carlos de Almeida Baptista Junior, “extrapolou seus limites institucionais”.

O tenente-brigadeiro do ar, em entrevista ao jornal O Globo, afirmou que os militares se mostraram “incomodados” com a fala do presidente da CPI da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-AM), sobre as Forças Armadas.

Segundo Ramos, “não cabe aos militares impor os limites das investigações da CPI do Senado e nem impedir a investigação sobre a conduta de militares no exercício de funções civis”.

Ao jornal, Baptista Junior afirmou que os militares “não são lenientes com desvios e não tem qualquer intenção de proteger ninguém que está à margem da lei”. A entrevista é mais uma resposta à fala de Aziz ,de que “os bons militares devem estar envergonhados” com o envolvimento de membros das Forças Armadas em “falcatruas do governo”.

“Fazia muito tempo que o Brasil não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo”, completou o senador na sessão, provocando reação e tensão entre as instituições.

Após a fala de Aziz, na noite da quarta-feira (7/7), Braga Netto, em conjunto com os comandantes das três Forças Armadas, emitiu nota atacando Aziz. O texto provocou reações acaloradas entre senadores.

Pacheco, inclusive, se reuniu com Braga Netto nesta quinta-feira (8/7) para conter os ânimos exaltados entre as instituições. Após o encontro, o senador defendeu que “o assunto está encerrado”.

Da redação com o Metrópoles

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *