Pacheco: “Nem o presidente da República pode agredir a Suprema Corte”

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), criticou, nesta sexta-feira (6/8), os ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na quinta-feira (5/8), o presidente do STF, ministro Luiz Fux, cancelou uma reunião entre os chefes dos Poderes e criticou a postura de Bolsonaro, que tem atacado os ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Como justificativa para o cancelamento do encontro, o magistrado destacou que o diálogo pressupõe respeito mútuo.

“O presidente do Supremo acaba sendo porta-voz do colegiado da mais alta Corte do Judiciário do Brasil, de modo que esse pronunciamento deve ser considerado como indicativo de que as coisas não estão bem. E, evidentemente, não estão bem”, declarou Pacheco, em entrevista à emissora GloboNews.

“Evidentemente nem o presidente da República, nem qualquer cidadão podem agredir a Suprema Corte do país. É possível questionar, criticar, apontar equívocos. Mas agressões e ironias, isso não cabe com uma relação que pretende ser institucional, republicana e respeitosa”, acrescentou.

Pacheco disse que, apesar disso, vai buscar os atores envolvidos para agendar novo encontro. “Ela [reunião] haverá de se realizar. O ministro Luiz Fux há de concordar que, em algum momento, todos precisarão sentar à mesa para poder apaziguar os ânimos, identificar quais são os erros, os caminhos dessa relação dos Poderes. E é isso que o Senado se propõe a fazer”, disse.

Da redação com o Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *