Queiroga diz a diretor da OMS que vai “passear” em Haia com Bolsonaro

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ao diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, em tom de brincadeira, que vai “passear em Haia” com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Sou o único chefe de Estado do mundo que está sendo investigado, acusado de genocida”, disse Bolsonaro, ao diretor-geral da OMS. “Eu também. Vou com ele para Haia; passear lá em Haia”, completou o ministro da Saúde.

Bolsonaro e Queiroga estão em Roma, na Itália, onde participaram da reunião da cúpula do G20, grupo que reúne os países mais ricos do mundo.

A CPI da Covid aprovou, na última terça-feira (26/10), por 7 votos a 4, o relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL), com 80 pedidos de indiciamentos.

Os alvos são 78 pessoas e duas empresas. Entre as autoridades acusadas, estão o presidente Jair Bolsonaro e os filhos Flávio, Carlos e Eduardo Bolsonaro. Também são responsabilizados ministros, ex-ministros, empresários, lobistas, médicos e influenciadores bolsonaristas.

Da redação com o Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *